Goiânia, quinta, 25 de maio de 2017
26/02/16 175485 visualizações

Palácio cobra demissão de jornalista que interpelou Marconi



Divulgação

Pouco depois do encerramento da entrevista coletiva na quarta-feira, 24, em que a jornalista da TV Record Revana Oliveira confrontou o governador Marconi Perillo (PSDB), o comando da TV recebeu cobrança de interlocutores do Palácio das Esmeraldas pedindo a imediata demissão da jornalista. Por mais absurda, a prática é comum em quase duas décadas de governo tucano em Goiás. Até aqui, porém, a direção da emissora se negou a cumprir o pedido e entregar a ‘cabeça’ da repórter.

Na quinta-feira, 25, de acordo com colegas, Revana deixou de cumprir sua rotina de pautas nas ruas da capital. No evento em que marcou a posse dos novos secretários do governo estadual, por exemplo, a TV Record preferiu enviar outro profissional. A jornalista permaneceu fazendo trabalhos internos – não se sabe se em forma de retaliação por seu firme questionamento ao governador ou para protege-la diante da grande repercussão em torno de seu trabalho na véspera.

No dia anterior, quase ao final da entrevista em que Marconi tentava (em vão) justificar o caos na Segurança Pública no Estado, sobretudo após a morte da estudante Nathalia Araújo Zucatellis, a repórter questionou diretamente o governador o que mudava na prática na Segurança Pública. A pergunta inesperada deixou Marconi desnorteado.

Irritado, Marconi afirmou que já havia explicado longamente as medidas que tomaria na área de Segurança Pública – todas sem efeito prático. Visivelmente desconcertado, esqueceu-se do que havia pronunciado minutos antes e voltou a manusear suas anotações. Quando o governador estava concluindo a nova explanação, Revana Oliveira o interpelou novamente: “Mas então de imediato não tem nada, só teoria?”

Mais nervoso, aumentando o tom de voz, Marconi foi ríspido: “Não é teoria não, senhora!” e já ameaçando levantar avisou que não tinha “varinha de mágica” para resolver os problemas da Segurança Pública em Goiás, que se tivesse já teria resolvido. Em seguida Marconi anunciou o fim da entrevista coletiva. (Veja o vídeo da entrevista)

Não demorou muito para que a tropa de choque de Perillo entrasse em ação e começasse a cobrar que a TV Record demitisse Revana Oliveira, que ousou ser profissional e fazer um questionamento que a população aguardava.

Mande pra gente, via Whatsapp, denúncias, textos, vídeos e fotos sobre a realidade do Estado de Goiás. Whatsapp do Goiás Real: (62) 8453 6115. Vamos preservar sua identidade, se for do seu interesse.

Outras notícias

+ veja mais notícias