Goiânia, domingo, 24 de setembro de 2017
24/08/17 2961 visualizações

Goiás na Frente: OS's de Marconi acusadas de escravizar médicos





O Ministério do Trabalho e Emprego de Goiás identificou diversas irregularidades nas Organizações Sociais que administram hospitais na gestão Marconi Perillo (PSDB). 

A auditoria encontrou médicos trabalhando até 60 horas por plantão, o que é proibido. Além disso, as OS estão quarteirizando a mão de obra médica para empresas de fachada e contratando profissionais sem processo seletivo. 

Os auditores lavraram 23 autos, que incluem entre eles os constantes atrasos de salários. Entre os hospitais apontados na investigação estão o Hugo, Hutrin, Hugol, Crer, IGH, HMI e Huapa. As empresas ainda são acusadas de sonegar R$ 8 milhões do FGTS. 

Se a dupla Marconi Perillo e José Eliton deixa fazer isso com médicos, imagine você, leitor, como são tratados os enfermeiros, técnicos e outros profissionais nos hospitais terceirizados pelo governo. 

Mande pra gente, via Whatsapp, denúncias, textos, vídeos e fotos sobre a realidade do Estado de Goiás. Whatsapp do Goiás Real: (62) 8453 6115. Vamos preservar sua identidade, se for do seu interesse.

Outras notícias

+ veja mais notícias