Goiânia, sbado, 18 de novembro de 2017
01/10/17 1195 visualizações

Faca no pescoço 2: Wilder diz que não abre mão da vaga por ninguém





Fragilizado politicamente por causa do péssimo governo e dos sucessivos escândalos envolvendo seu nome, o governador Marconi Perillo (PSDB) enfrenta problemas com recados malcriados enviados por seus aliados na imprensa. Depois do PTB ensaiar uma rebelião se não tiver a vice ou uma vaga no Senado em 2018 (clique aqui), agora é a vez do PP, do senador Wilder Morais, botar a boca no trombone.

“Não abro mão não. Não quero ser vice e não quero ser suplente. Quero ser senador. Ser vice do José Eliton (PSDB) é ótimo, mas acho que hoje eu posso ajudar mais o estado no senado. Só não serei o candidatado da base se a base não me quiser. Eu sou amigo de todo mundo. Eu sou candidato, nem que seja sozinho”, disse Wilder na Rádio 730.

Apesar de ter chegado ao Senado apenas por causa da cassação do ex-senador Demóstenes Torres, Wilder não se faz de rogado e coloca mais pressão em uma já acirrada disputa dentro da base aliada de Marconi, que envolve, além de PTB e PP, siglas como o PSD, do ex-deputado Vilmar Rocha, e até o PR, que ainda sonha com a indicação.

Mande pra gente, via Whatsapp, denúncias, textos, vídeos e fotos sobre a realidade do Estado de Goiás. Whatsapp do Goiás Real: (62) 8453 6115. Vamos preservar sua identidade, se for do seu interesse.

Outras notícias

+ veja mais notícias