Goiânia, domingo, 19 de agosto de 2018
13/06/18 316 visualizações

Falha no tratamento de esgoto deveria ter sido resolvida há dez anos



Divulgação

A falta eficiência no tratamento de esgoto pela Saneago é resultado do descumprimento de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) assinado em 2008 para que fosse providenciada a instalação e implantação do tratamento secundário do esgoto, de forma a atender aos parâmetros e condições exigidas em lei.

Para o Ministério Público de Goiás (MP/GO), que entrou com ação civil pública pedindo a suspensão imediata da tarifa de tratamento de esgoto em Goiânia, a estatal continua cobrando do consumidor por um serviço ineficiente.

A falta de eficiência no tratamento de esgoto ocorre na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Dr. Hélio Seixo de Brito, responsável pelo atendimento a mais de 75% dos consumidores da cidade. 

As promotoras Maria Cristina de Miranda e Marísia Sobral Massieux também destacam aque a situação também é agravada pelo fato de a ETE estar recebendo esgoto proveniente de limpa fossa e chorume do aterro sanitário de Goiânia.

“Além de não realizar o tratamento do esgoto domiciliar, a Saneago recebe outros dejetos na ETE que, igualmente, não são tratados, e que tem capacidade de majorar exponencialmente o grau de contaminação à população”, apontaram.

Mande pra gente, via Whatsapp, denúncias, textos, vídeos e fotos sobre a realidade do Estado de Goiás. Whatsapp do Goiás Real: (62) 8453 6115. Vamos preservar sua identidade, se for do seu interesse.

Outras notícias

+ veja mais notícias