CINEMA MUNDO ECONOMIA CULTURA ESPORTES EDUCAÇÃO CONCURSOS CIÊNCIAS & SAÚDE
SEGUNDA-FEIRA, 6 DE DEZEMBRO DE 2021
ULTIMA NOTÍCIA:
TSE torna privado processo que discute provas de invasão Hacker ao seus servidores !
BUSCAR
   
  Notícias
Acontecendo
Africa
América do Sul
Automóveis & Motocicletas
Beleza
Brasil
Brasilia
Ciência & Saúde
Cinema & Teatro
Concursos & Emprego
Conteúdo
Cultura
Diversidade
Ecologia
Economia
Editorial
Educação
Entretenimento
Esportes
Gastronomia
Gente
Goiânia e Centro-Oeste
Goiás
Impecheament
Jurídico
Meio Ambiente
Moda
Mulher
Mundo
Música e Ritmos
Noite Rio
Planeta Criança
Policia
Politica
Poluição
Porto Alegre
Religião
Rio de Janeiro
RioPress
São Paulo
Saúde
Tecnologia
Tocantins
Turismo
União
Página Inicial / Notícias / Jurídico
  Jurídico
 
Justiça condena Petrobras a pagar R$ 1 milhão
Data Publicação:04/02/2013

A Petrobras e a Cooperativa Nacional de Transportes Terrestre (Coomap) foram condenadas a pagar, cada uma R$ 1 milhão por dano coletivo, após uma ação apontar irregularidades na contratação da cooperativa, tendo como objetivo a redução dos encargos trabalhistas, segundo informações divulgadas anteontem pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) do Rio Grande do Norte. A condenaação foi fixada pela 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Estado.

Além da indenização, a cooperativa deixará de fornecer mão de obra à estatal.

Segundo o MPT do Rio Grande do Norte, as empresas estabeleciam terceirização ilícita. A denúncia foi feita pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Mossoró e pelo Sindicato dos Petroleiros do RN, na qual afirmava que a estatal contratou a cooperativa para serviços de transportes nas cidades de Mossoró, Alto do Rodrigues, Natal e Guamaré.

De acordo com a denúncia, a cooperativa estabeleceu diversos requisitos aos contratados como cooperados, inclusive que assumissem o financiamento e o seguro de um veículo, além do pagamento de uma taxa de adesão. Em primeira instância, a Justiça entendeu que não havia provas suficientes para condenar as empresas.

Contudo, após o recurso imposto pelo MPT, chegou a conclusão de que a ida da cooperativa para o Estado do Rio Grande do Norte tinha como objetivo arregimentar trabalhadores para a execução de contrato com a Petrobras, o que torna "evidente o artifício de diminuir os custos e desviar a aplicação da legislação do trabalho.

Em contato com Terra, a Petrobras informou que já entrou com recurso da decisão, que ainda será julgado, e garantiu que o processo foi legal, assim como a contratação da cooperativa.

Já na cooperativa, os responsáveis pelo assunto não foram encontrados para comentar o assunto.




Fonte:terra



Nome:
E-Mail:
+ Notícia(s)
- TSE arquiva ação contra chapa Bolsonaro/Mourão por suposto abuso do poder econômico
- Peteco, STF revoga decisão de Fux e libera entrevistas com ex-presidente Lula
- Supremo sinaliza maior correção para precatórios
- Auditor que investigou Gilmar Mendes enviou dossiês a supervisor da Lava Jato
- Moro promete projeto contra corrupção em fevereiro com regra de prisão após condenação em 2ª instância
- Justiça Federal marca para junho depoimento de Lula em caso de caças suecos
- Justiça manda liberar Joesley Batista
- Brasileiros estão cansados e querem poder voltar a confiar em instituições, diz Cármen Lúcia
- Fachin nega pedido de habeas corpus de Lula e envia caso ao plenário do STF
- STF homologa acordo sobre planos econômicos Color I e II
Paginação:
     
MAIS PROCURADOS
Empresa
Reclamações
Regras de publicação


 
PRODUTOS
Publicidade
Artigos Acadêmicos
 
INTERAÇÃO
Contato / Reclamações / Sugestões
 
 
Goias Real - Todos os Direitos Reservados de 2004 a 2020.